90 T.I | Inovação que facilita!
15/12/2016

BDI: fórmula que ajudará no cálculo

O plano para elaborar uma obra passa por várias etapas. Uma delas é executar um coerente roteiro de orçamentos, que facilitará no planejamento, na execução e na economia dos gastos da obra. Neste post, você encontrará soluções para desenvolvimento do cálculo do BDI.

Cálculo do BDI

O BDI (Benefício e Despesas Indiretas) auxilia na análise orçamentária dos lucros e na descrição do que não está ligado ao custo direto da obra. Trata-se de uma taxa que é adicionada para cobrir as despesas indiretas que o construtor tem, mais o risco do empreendimento, as despesas financeiras envolvidas, os tributos incidentes na operação, eventuais despesas de comercialização e o lucro do empreendedor.

Antigamente, esses dados eram ocultos nos relatórios financeiros, mas hoje muitas empresas já utilizam a planilha de BDI. Essa ferramenta ajuda a compor o preço de venda adequado da construção civil. O cálculo é simples. Há planilhas disponíveis para realizar o trabalho e organizar o plano de obra.

Dentre os itens que são identificados nessas despesas indiretas, estão, por exemplo:

– administração central;

– administração local (despesas provenientes da montagem e manutenção da infraestrutura do empreendimento, incluindo serviços e mão de obra administrativa);

– gastos com canteiro de obras;

– despesas com a equipe de campo (celular, transporte, alimentação);

– seguros;

– imprevistos;

– lucros;

– tributos e impostos.

Esses itens representam aproximadamente 30% dos custos da obra. É importante ressaltar que o BDI é único para cada obra, pois cada uma apresenta suas particularidades.

A fórmula do BDI

O cálculo, geralmente, leva em consideração 5 principais itens, como destaca especialistas da área:

AC — Administração central: percentual incluído no contrato para suprir gastos gerais que a empresa efetua com a sua administração, tais como: aluguel da sede, salários dos funcionários da sede, material de expediente, dentre outros.

DF — Despesas financeiras: são gastos relacionados à perda monetária decorrente da defasagem entre a data do efetivo desembolso e a data da receita correspondente.

R — Garantias, riscos, seguros e imprevistos: percentual incluído no contrato para suprir gastos com imprevistos, riscos, etc.

L — Lucro: percentual incluído no contrato referente ao lucro pretendido.

T — Tributos: Somatório do COFINS, PIS e ISS.

A fórmula padrão é:

( (1 + AC) x (1 + DF) x (1 + R) x (1 + L) ) / ( 1 – T ) ) – 1 )

Maçahico Tisaka, consultor empresarial e ex-presidente do Instituto de Engenharia, apresenta outra opção:

BDI

Legenda:

i = taxa de administração central

r = taxa de risco do empreendimento

f = taxa de custo financeiro do capital de giro

t = taxa de tributos federais

s = taxa de tributo municipal – ISS (Imposto Sobre Serviços)

c = taxa de despesas de comercialização

l = lucro ou remuneração líquida da empresa

As taxas no numerador incidem sobre os custos diretos.

As taxas no denominador incidem sobre o Preço de Venda (faturamento).

Portanto, o BDI representa o rateio dos custos das obras não discriminados na Planilha de Quantidades e Preços Unitários (definidos como Custos Indiretos) aplicado sobre os Custos Unitários Diretos dos Serviços. Ele só pode ser calculado após conhecido o projeto, sua localização e com dados próprios de cada empresa.

Existem ferramentas e softwares para orçamento de obras, planejamento e acompanhamento que te ajudarão a traçar esse plano orçamentário. Além disso, há diversos métodos adotados por instituições e empresas para chegar ao percentual de BDI.

São muitas fórmulas e cálculos que envolvem um orçamento. Acompanhe o blog da 90t.i e fique atento para as várias dicas que ajudarão no seu trabalho!

/noventati /@90tecnologia /90tecnologiadainformação