90 T.I | Inovação que facilita!
11/10/2017

Como funciona a construção a seco?

Um novo projeto demanda uma série de preocupações que impactarão, tanto no layout da obra quanto em toda a logística produtiva, para que a construção seja rápida e eficiente. Quando chegamos aos métodos disponíveis no mercado, as possibilidades são potencializadas pelas qualidades que cada um deles pode apresentar, como é o caso da construção a seco.

O método, em progressiva evidência entre as construtoras, concentra diversas vantagens em sua aplicação. Não à toa, tem ganhado mais espaço entre especialistas do setor, sempre em busca de novidades para aplicar no dia a dia de suas empresas.

Quer saber mais a respeito da construção a seco e quais são as vantagens que mencionamos? Então, acompanhe-nos com a leitura deste post!

O que é a construção a seco?

O nome já diz muito a seu respeito: trata-se do tipo de construção que dispensa o uso de água para compor os materiais estruturais de uma edificação, como a argamassa. Ou seja: o modelo é inteiramente pensado para ser montado com uma instalação inteligente que confere solidez, versatilidade e durabilidade ao imóvel em questão.

Como funciona um projeto de construção a seco?

Em um de seus métodos mais utilizados — o sistema Steel Frame —, a construção a seco conta com uma estrutura formulada por um conjunto de vigas e pilares metálicos que formam a sustentação da sua edificação. Com isso, uma carga de peso deixa de ser parte elementar da fundação, o que também ajuda a reduzir o custo final da obra.

Além disso, há a possibilidade de contar com boas opções de isolamento, já que a estrutura por vigas permite essa versatilidade. Só que essas são apenas algumas das muitas vantagens que um gerente de obras pode acumular ao usar a construção a seco. Vamos ver outras?

Quais as vantagens da aplicação deste método?

Abaixo, reunimos as principais características da construção a seco, muitas das quais têm ajudado a trazer mais frescor e novidades à construção civil. Entre elas, apontamos:

Redução de custos

De imediato, pode-se perceber uma boa redução no valor final do projeto, tendo em vista que a fundação, por ser mais acessível e prática de construir, demandará menos tempo, mão de obra e equipamentos necessários para a sua execução.

Leveza e resistência

Mais uma vez, o uso de materiais leves, resistentes e duráveis faz com que a construção a seco desponte como um elemento de grande valorização. Principalmente, em projetos com um curto prazo de conclusão.

Resistência ao fogo

Tomando como exemplo o método Steel Frame, que faz uso do aço galvanizado em sua estrutura, podemos dizer que a resistência ao fogo é um ponto muito positivo. Ainda mais associado ao uso de materiais no forro, permitindo mais proteção à edificação e aos ocupantes do imóvel.

Ambiente anti-alérgico

Naturalmente, o sistema evita que se proliferem fungos, bolor e mofo em geral, o que é uma solução muito convidativa para quem já convive com dificuldades respiratórias.

Sustentabilidade

O consumo reduzido de água e a produção minimizada de resíduos e entulho, torna o projeto de construção a seco mais sustentável também.

Construção mais rápida

Por eliminar algumas etapas comuns à construção, como o período de secagem de determinados materiais, a construção a seco tem sido considerada até 70% mais rápida do que os métodos convencionais.

Segurança

Todos os materiais utilizados passam por um rigoroso processo de adequação às exigências legais e de fiscalização, visando uma construção de altíssima qualidade.

Conveniência em manutenções

A substituição de elementos, caso seja necessário quebrar uma parede, por exemplo, é mais rápida, prática e envolve menos custos e desafios logísticos.

Quais são as técnicas de construção a seco?

Abaixo, reunimos algumas das maneiras mais populares de usar a construção a seco no canteiro de obras, como:

Placas de gesso

Também conhecida como drywall, que são placas de gesso envoltas em uma estrutura de aço, as construção ganham em agilidade, economia de custos e versatilidade para seus projetos. O isolamento é uma vantagem à parte, pois pode ser feito com o uso de um enchimento de lã mineral, por exemplo, que não atrapalha na construção da estrutura metálica.

Parede dupla de concreto

Ainda recente, tendo se popularizado em 2009 no Brasil, essa tecnologia já é bastante utilizada para a construção de shopping centers e de galpões, já que seu sistema conta com o uso de módulos pré-fabricados e já prontos para serem aplicados no canteiro de obras. Assim, as paredes são conectadas por uma armadura em treliça, cuja grande função é se responsabilizar pela estruturação da edificação. Algo que, no conjunto da obra, percebe-se como uma boa vantagem na economia de tempo ao executar a obra.

Steel frame

O modelo de construção a seco também é conhecido como Light Steel Framing (LSF), que leva o aço galvanizado, mencionado anteriormente, em sua execução. Dessa maneira, uma vez pronta a estrutura do imóvel, o projeto é bastante simplificado, permitindo inclusive boa versatilidade no uso de materiais para o acabamento da obra.

Painéis EPS

Por fim, temos o modelo de painéis EPS, que já é mais consolidado no mercado nacional (chegou aqui em meados dos anos 90). Acontece que, além de pouco popular, o método não se caracteriza essencialmente como uma construção a seco, já que ele é feito com telas de aço galvanizado, que são unidas por treliças.

Depois, são firmadas em seu interior com EPS. Em seguida, aplica-se argamassa na estrutura. No mais, também é considerada uma construção a seco por aliar muitas das características e vantagens já mencionadas por aqui.

Deu para saber mais a respeito da construção a seco e de quais maneiras ela pode ser aplicada na realidade dos futuros projetos de sua empresa? Agora, para não perder nenhuma outra dica relevante, como a que trouxemos neste post, curta a nossa página do Facebook e fique por dentro, em primeira mão, de tudo o que acontece no setor de construção civil!

/noventati /@90tecnologia /90tecnologiadainformação